Região

Confirmado primeiro caso de Coronavírus em Cachoeira do Sul

24/03/2020 09:41
 

Está confirmado o primeiro caso de paciente com Coronavírus em Cachoeira do Sul. Familiares do empresário e professor Adalberto Severo, o Guga, 58 anos, receberam a confirmação do teste positivo para a contaminação na noite desta segunda-feira (23). Guga chegou a ser internado no sábado (22) no Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), mas em decorrência de síndrome respiratória aguda grave (Srag) foi transferido no dia seguinte para o Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, onde apresentou melhora, se recupera e passa bem.

No começo de março, Guga teria tido contato com uma familiar que havia chegado de viagem da Espanha, e dias depois começou a apresentar os primeiros sintomas. O paciente é tratado pelas autoridades locais da área da saúde como um caso importado. Ele também teve contato com pessoas de Porto Alegre em situação suspeita de terem contraído a Covid-19.

Na semana passada, Guga procurou um consultório médico particular e passou a ficar em isolamento. Como o quadro piorou, o empresário procurou o Hospital de Caridade e Beneficência, onde passou por exame de tomografia que, preliminarmente, apontou a possibilidade de ele estar com a doença.

ALERTA EPIDEMIOLÓGICO

A Secretaria Municipal da Saúde ainda não foi comunicada oficialmente pela Secretaria Estadual da Saúde. Como o empresário prestigiou recentemente a festa Aloha, na Sociedade Rio Branco, e trabalhou normalmente em sua empresa durante o mês, a tendência é de que seja emitido um alerta epidemiológico para as autoridades locais da área da saúde da Prefeitura de Cachoeira do Sul.

Hoje, Cachoeira tem sete casos descartados e outros dois suspeitos em monitoramento. Tratam-se de um homem e uma mulher, ambos de 33 anos.

 

CUIDADOS

  • As medidas preventivas mais eficazes para reduzir a capacidade de contágio do novo coronavírus são: “etiqueta respiratória”; higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel a 70%; identificação e isolamento respiratório e uso dos EPIs (equipamentos de proteção individual) pelos profissionais de saúde.
  • O período de incubação, ou seja, o tempo entre o dia do contato com o paciente doente e o início dos sintomas, é, em média, de cinco dias para a Covid-19. Em casos mais raros, o período de incubação chegou a 14 dias.
  • Aproximadamente 80 a 85% dos casos são leves e não necessitam hospitalização, devendo permanecer em isolamento respiratório domiciliar. Em torno de 15% dos casos necessitam de internação hospitalar fora da unidade de terapia intensiva (UTI) e menos de 5% precisam de suporte intensivo.
  • Provavelmente os primeiros 3 a 5 dias de início dos sintomas são os de maior transmissibilidade. Por isso, casos suspeitos devem ficar em isolamento respiratório, desde o primeiro dia de sintomas, até serem descartados.

 

Ocorreio.com.br



Topo